A dinâmica contemporânea do fluxo e sistematização de informações do ponto de vista global aliada às novas possibilidades de captação de recursos que possibilitem posicionamento estratégico e acadêmico da FAF é condizente com a modernidade e ensejaram o recrudescimento de um processo de aprimoramento continuo e crescimento dessa instituição. A despeito da crise econômica, social, política e ética do Estado do Rio de Janeiro, a FAF tem obtido excelentes resultados em diversos campos e metodologias de avaliação qualitativas e objetivas. Há crescimento e melhoria de todos os seus componentes acadêmicos e educacionais que perpassam os diversos níveis no ensino, pesquisa e extensão.

Nos últimos anos, a partir de 2010, em acordo com o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPERJ), através de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), a UERJ reestruturou seu quadro docente e funcional com a realização de concursos públicos e ingresso de novos professores permanentes, em regime de trabalho de 40 horas semanais, para poder suprir o problema crônico de falta de docentes, substituindo a atuação de professores substitutos. Tal iniciativa contribuiu decisivamente para uma nova disponibilidade e renovação de recursos humanos para o ensino de graduação, mas também para o fortalecimento dos programas de pós-graduação. No caso da FAF, isso possibilitou o ingresso de 10 novos docentes doutores e 13 novos mestres, todos em regime semanal de 40 horas. Esses 23 novos docentes foram adicionados ao quadro já existente de 25 docentes, encerrando-se, assim, os contratos temporários e permitindo também um melhor delineamento de progressão docente e de carreira a partir dos núcleos acadêmicos da graduação, contribuindo para o fortalecimento do ensino de graduação, mas também para o programa de mestrado.

Na FAF foram aprovados nos concursos 10 novos doutores, em regime acadêmico de professor adjunto 40 horas e 13 novos mestres, como professores assistente, com carga horária de 40 horas. Esses novos docentes, somados aos 25 docentes do quadro permanente da FAF, antes da implementação do TAC, compõem hoje um grupo motivado e disposto a vivenciar novos desafios.

A estrutura administrativa foi remodelada e mapeada com aplicação de expertise de gestão e contabilidade em conjunção com a pesquisa, a extensão e com o processo de ensino aprendizagem. A construção de fluxogramas operacionais para todos os processos administrativos da FAF serviu de base para casos didáticos de disciplinas do mestrado acadêmico em Ciências Contábeis (programa de Pós-graduação em Ciências Contábeis – PPGCC) da unidade acadêmica. Essa ação orientou todo processo administrativo - operacional e serviu de base para roteirização de processos de outros departamentos da Universidade.

A FAF se organiza como unidade acadêmica da UERJ, provida de autonomia de gestão, através de seu Conselho Departamental, formado pelas representações discentes, (André Raí e Tainah Andrade - 2 votos), representação docente do Departamento de Ciências Administrativas – DCA, (chefe do DCA, Professor Mário Cordeiro - 1 voto), representação docente do Departamento de Ciências Contábeis - DCC (chefe do DCC), Professora Simone Vieira - 1 voto), a representação dos servidores técnicos-administrativos (Gerson do Anjos – 1 voto), representação estratégica do conjunto da Faculdade com 1 voto para o vice diretor, Professor Fernando Padovani e 1 voto para o diretor, Professor Guilherme Portugal perfazendo um total de 7 votos. A FAF dispõe ainda de um representante no Conselho Universitário da UERJ, professor José Francisco Alves.

O Conselho Departamental da FAF, nos últimos anos fortaleceu o conceito de núcleos acadêmicos como raiz para germinação de outros componentes educacionais acadêmicos e administrativos internos e externos. A FAF abriga em seu núcleo de graduação, dois departamentos, DCA e DCC. Em seu plano político pedagógico, o DCA estabeleceu 4 áreas de estudos: 1. Estudos organizacionais, 2. Operações e mercados, 3. Finanças, 4. Gestão Pública. Os objetivos essenciais de formação dos discentes foram alinhados para atender metas acadêmicas, instrumentais e estratégicas.

Na linha de Gestão Pública, o DCA tem buscado ao longo do tempo, sob o enfoque da formação acadêmica, observar as dinâmicas conjunturais do Estado e da Sociedade verificando o inter-relacionamento dos dois com a Administração Pública. Na formação instrumental, o curso de graduação em Ciências Administrativas visa a análise macroeconômica, das finanças e orçamento públicos e dos aspectos jurídicos e do direito administrativo público. No foco estratégico, a formação visa o estudo das formulações, acompanhamento e avaliação de políticas públicas.

O DCC se compõe por 4 coordenações acadêmicas vinculadas a uma coordenação acadêmica central: 1. Contabilidade Geral, 2. Contabilidade Tributária, 3. Contabilidade Gerencial, 4. Contabilidade Pública. O núcleo de Contabilidade Pública junto com a Contabilidade Gerencial compôs um eixo central para fortalecimento do PPGCC.

O curso de pós-graduação stricto sensu - PPGCC, oriundo da Fundação Getúlio Vargas – FGV, do Rio de Janeiro, atualmente com conceito CAPES 3, relativo no ultimo quadriênio, reformulou nesse ano seu quadro de docentes para incluir os novos professores doutores que vieram integrar o corpo de professores FAF, docentes motivados e com perfil para atuar em pesquisas de alto impacto na área de contabilidade gerencial e pública, ensino-aprendizagem em controladoria e gestão, pesquisas qualitativas e quantitativas nessa área de concentração. O PPGCC, em 2017, firmou convênio com o Conselho Regional de Contabilidade - CRCRJ para financiamento de atividades e cooperação técnica de pesquisas e extensão. Tem obtido a partir desse ano também recursos do Núcleo de Pós-graduação lato sensu, o NPG da FAF. O relatório de avaliação CAPES tem sido discutido amplamente dentro do colegiado do PPGCC e nas disciplinas, como estudos de caso dentro do conceito de pesquisa\ação. O programa constrói uma agenda positiva para participação em Congressos e revistas da área. O ENAPAD 2017 teve a presença de vários de nossos docentes.

A Revista de Contabilidade do Mestrado em Ciências Contábeis da UERJ (online), atualmente com conceito B2 no Qualis CAPES, conta com um corpo técnico e editorial de alto nível, que inclui o professor Eliseu Martins da Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo - FEA USP e o professor Moacir Sancovschi da Faculdade de Administração e Ciências Contábeis - FACC Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. A revista recompôs seu quadro de avaliadores e revisores para dar mais agilidade e e retroalimentação para retroalimentação de envios recebidos de autores.

A pós-graduação lato sensu da FAF inclui um conjunto de cursos com carga horária de 360 horas, referendando essa modalidade de ensino em diversas áreas do conhecimento. O curso de especialização em Controladoria Pública e foi, em 2003, o primeiro a ser lançado pela unidade acadêmica. Ressalta-se a formação de turmas in company como a do Tribunal de Contas do Município do Rio de Janeiro - TCERJ em 2012. Em 2010 foi formada a primeira turma do curso de especialização em Planejamento e Finanças. No ano seguinte, formou-se a primeira turma do curso de especialização em Gestão Empresarial. Em diante, a FAF formou turmas nos cursos de especialização em Logística Empresarial, Controladoria Societária (360 horas), Gestão de Projetos, Gestão Estratégica de Pessoas e Inovação na Gestão Pública. Em março de 2017, a FAF criou com forma regimental oficial o Núcleo de Pós-graduação Lato Sensu, o NPG FAF UERJ que abriga a carteira de cursos com coordenações acadêmicas individuais e coordenação geral. Todos os cursos do NPG têm criado de forma bem estruturada um conceito de educação continuada que se tornou estratégico para a faculdade.

Vale ressaltar a crescente demanda por cursos de controladoria e gestão na área pública, das mais diversas modalidades, o que a FAF vem atendendo. Como exemplo, pode-se citas as turmas formadas para a Marinha do Brasil em Intendência de Oficiais em 2011, 2012 e 2013.

O curso de especialização em Inovação na Gestão Pública (IGP) aliou expertises oriundas do PPGCC da FAF dentro dos projetos e grupos de pesquisa de Inovação, Contabilidade Pública e Gestão Pública, curso de especialização em Controladoria Pública e sobretudo dos dois núcleos acadêmicos de graduação da área pública, contabilidade pública DCC e Gestão Pública DCA, foi concebido o projeto de cursos de especialização em IGP com o objetivo de prover conhecimentos de gestão inovadores à gestores públicos do Estado do Rio de Janeiro,  ao mesmo tempo que pudesse colaborar para melhoria de práticas associadas à Governança Pública. Várias turmas forma concluídas desde então, ressaltando-se dois contratantes, Escola da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro -ALERJ e no HUPE.